VENHA SER UM EEVVA

A SOBEF Sociedade Brasileira de Enfermagem Forense, recebeu treinamento e capacitação de enfermeiros forenses americanos para atender vítimas de violência e agressão sexual, bem como os perpetradores. Os membros receberam a certificação de SANE (Sexual Assault Nurse Examiner), dessa forma surgiu o EEVVA um curso de 40 horas teórico prático que é realizado com modelos vivos.  

Você enfermeiro Forense, precisa conhecer este curso, junte-se a SOBEF na humanização da assistência a vítimas de violência seja um EEVVA.

Competências de um Enfermeiro Forense qualificado para atender Vítimas de Agressão Sexual – EEVVA – Enfermeiros Examinadores de Vítimas de Violência e Agressores.

  • Realizar triagem emergencial em pacientes
  • Realizar e documentar entrevistas e exames forenses de agressão sexual
  • Fornecer apoio emocional
  • Avaliar o estado emocional do paciente para determinar se é necessária uma avaliação ou tratamento adicional
  • Fornecer referências para grupos de assistência jurídica e advocacia
  • Oferecer-se para aconselhar ou fornecer referência a um conselheiro recomendado
  • Realize uma avaliação forense completa que inclua: 
    • Administrar medicamentos profiláticos e contracepção de emergência – Caso haja protocolo
    • Avaliar o status de relatórios obrigatórios e relatar quando apropriado
    • Coordenar encaminhamentos para cuidados de acompanhamento adequados, conforme necessário
    • Garantir a confidencialidade do paciente/prontuário médico em todos os momentos
    • Realização de avaliação de trauma com exame genital/anal
    • Obtenção de documentação fotográfica de lesões corporais e genitais-anais com documentação competente
    • Testemunharem todos/todos os casos realizados enquanto contratado caso seja um EEVVA
  • Obter coleta de espécimes forenses e documentação de suporte, que inclui:
    • Coleta de amostras de urina
    • Observar quaisquer áreas de lesão, incluindo hematomas, marcas de mordida e arranhões.
    • Obtenção de Swabs do colo do útero, reto, áreas vaginais ou penianas da vítima
    • Remoção de pelos da cabeça da vítima de várias áreas do couro cabeludo para comparação.
    • Remoção de pelos pubianos da vítima para comparação
    • Coletar amostra da cavidade oral da vítima 
    • Coletando amostras de sangue
    • Coletar amostra de DNA da vítima para comparação
    • E o mais importante, ao receber uma vítima de violência em uma unidade de emergência NUNCA devemos limpar a vítima antes de coletar as evidências.
Compartilhe isto:

Deixe um comentário