O que vem a ser Violência?

A humanidade sempre se perguntou e nunca chegou a uma resposta sobre esta questão inevitável, que é a violência. No cerne da compreensão da violência estão as crenças e atitudes culturais, que podem mudar ao longo do tempo, às vezes de forma bastante dramática. 

Isso significa entender o que é ou não violência em uma sociedade num determinado momento. Uma das definições mais simples, oferecida pelo criminologista holandês Pieter Spierenburg, define a violência como: “invasão intencional da integridade física de um indivíduo”.  A intenção é fundamental e seria considerar a violência como a intenção consciente de causar dano a outro. 

E é por isso que acidentes, que podem ser muito violentos, não são considerados uma forma de violência, devido a sua não intencionalidade (claro que em alguns casos) pelo menos para fins desta cobrança, a violação de uma pessoa por outra, que para todos os efeitos pode estar pensando que está agindo no melhor interesse dessa pessoa, mas que pode causar danos involuntariamente. 

Causar dano e violência, são duas coisas diferentes. No entanto, embora a maioria dos estudiosos sobre o tema, trate da violação física do corpo, como uma forma de violência, voltando na História da Humanidade a blasfêmia era uma forma de violência no início da era moderna. Atualmente o Bullying, ódio cibernético, vigilantismo digital, epítetos raciais e abuso emocional também são formas de violência, especialmente quando ataques verbais persistentes podem levar à automutilação ou mesmo ao suicídio. 

Sociólogos há muito incluem o estrutural e o simbólico nas noções de violência. Mas definir a violência é ainda mais complicado do que isso, porque decidir onde a violência física começa e onde termina não é tarefa simples.

E VOCÊ O QUE PENSA SOBRE ISSO?

A resposta para muitas dessas perguntas depende de quem, onde e quando estamos discutindo. A forma como as pessoas concebem a ‘violência’ varia necessariamente de período para período e de região para região, mas a sensibilidade para as maneiras como os contemporâneos usaram a linguagem da violência ou, em outras palavras, o que eles entendem como ‘violência’ é fundamental para a nossa interpretação. A dificuldade é sempre equilibrar o que qualquer sociedade aceita como violência e o que nós, como pessoas de fora, condenamos. No entanto, defini-la no seu sentido mais amplo possível para incluir, não apenas o uso da força física por uma pessoa, um grupo de pessoas ou uma instituição contra um ou mais seres vivos, mas também uma dimensão psicológica, social e emocional, para abranger qualquer relação coercitiva ou exploradora.

Créditos de imagem:

Woman photo created by rawpixel.com – www.freepik.com

Saiba mais sobre a violência através da história com Pieter Spierenburg :

Compartilhe isto: