Você sabe o que vem a ser Parafilias?

  • Parafilias são considerados distúrbios emocionais definidos como fantasias, impulsos ou comportamentos sexualmente excitantes que são recorrentes, intensos, ocorrem por um período de pelo menos 6 meses e causam sofrimento significativo ou interferem em áreas importantes do funcionamento corporal.
  • Exceto pelo masoquismo, os profissionais especializados diagnosticam quase exclusivamente parafilias em homens.
  • Existem vários tipos diferentes de distúrbios parafílicos, cada um com um foco diferente da excitação sexual do portador.
  • Existem fatores de risco biológicos, psicológicos e sociais para o desenvolvimento de parafilias.
  • Enquanto o estimulante sexual desejado para o portador de parafilia depende da parafilia específica, as características da doença são muitas vezes muito semelhantes, conforme descrito na referência padrão mais atual para diagnósticos de saúde mental, o DSM-5 .
  • Para estabelecer o diagnóstico de uma parafilia, os profissionais de saúde mental geralmente realizam no indivíduo com suspeita de parafilia o exame físico e exames laboratoriais de rotina. O profissional avaliará qualquer histórico de sintomas de saúde mental.
  • O tratamento de distúrbios sexuais parafílicos geralmente envolve a combinação de psicoterapia e medicação.
  • As parafilias são em sua maioria crônicas, de modo que um mínimo de 2 anos de tratamento é recomendado mesmo para as parafilias mais leves.
  • Como prevenção para o desenvolvimento de qualquer comportamento parafílico geralmente envolve o alívio dos fatores de risco psicossociais para o seu desenvolvimento.

A palavra parafilia deriva do grego; “para” quesignifica ao redor ou ao lado, e “philia” que significa amor. A definição de parafilia é qualquer distúrbio emocional caracterizado por fantasias, impulsos ou comportamentos sexualmente excitantes que são recorrentes, intensos, que ocorrem durante um período de pelo menos 6 meses e causam sofrimento significativo ou interferem no trabalho, função social ou outras atividades do portador em importantes áreas de funcionamento. 

O número de pessoas que sofrem de uma parafilia é impreciso devido a dificuldade de diagnóstico. Muitas pessoas com um desses distúrbios sofrem em segredo ou em silêncio por vergonha, e algumas se envolvem em comportamentos sexualmente ofensivos e, portanto, investem em não relatar sua parafilia. Portanto, muitas estimativas sobre a prevalência de transtornos parafílicos vêm do número de pessoas envolvidas com o sistema de justiça criminal devido à pedofilia. A maioria dos indivíduos com este desvio sexual são homens (3%-5% da população masculina), com apenas 1%-6% dessas mulheres. No entanto, as mulheres tendem a ser subdiagnosticadas com parafilias, erroneamente dado o benefício da dúvida por aqueles que avaliam seus comportamentos sexuais.

Com exceção do masoquismo, que é 20 vezes mais comum em mulheres do que em homens, as parafilias são quase exclusivamente diagnosticadas em homens. Muitas pessoas que sofrem de uma parafilia têm mais de uma. Por exemplo, cerca de um terço dos pedófilos também têm outra parafilia. Mais da metade se envolve em três ou quatro desses tipos de comportamentos, em vez de apenas um. A maioria das pessoas que desenvolve uma parafilia começa a ter fantasias sobre isso antes dos 13 anos de idade.

De acordo com a referência padrão mais atual para transtornos mentais, o Manual Diagnóstico e Estatístico de Transtornos Mentais, Quinta Edição ( DSM-5 ), precedido pelo DSM-IV e DSM-IV-TR , existem vários tipos diferentes de parafilias , cada um dos quais tem um foco diferente da excitação sexual do sofredor.

Tipos de Parafilias:

  • Voyeurismo: assistir a um indivíduo desavisado/não consentido que está nu, se despindo ou envolvido em atividade sexual
  • Exibicionismo: expor os próprios genitais a uma pessoa desavisada
  • Frotteurismo: tocar ou esfregar contra uma pessoa que não consente
  • Masoquismo sexual: ser humilhado, espancado, amarrado ou ter prazer com o sofrimento.
  • Sadismo sexual: o sofrimento físico ou emocional de outra pessoa
  • Pedofilia: atividade sexual com uma criança pré-púbere (geralmente com 13 anos ou menos) – No Brasil crime e uma forma comum de violência contra a criança e o adolescente.
  • Fetichismo: fascinação sexual por objetos inanimados ou partes do corpo altamente específicas (parcialismo). Exemplos de fetichismos específicos incluem sonofilia (excitação sexual por uma pessoa que está inconsciente) e urofilia (derivar prazer sexual de ver ou pensar em urina ou urinar)
  • Travestismo: travestismo que é sexualmente excitante e interfere no funcionamento
  • A autoginefilia é um subtipo de travestismo que se refere especificamente a homens que se excitam pensando ou se visualizando como mulher.
  • Outras parafilias especificadas: algumas parafilias não atendem aos critérios diagnósticos completos para um transtorno parafílico, mas podem ter impulsos sexuais descontrolados que causam sofrimento suficiente para que o paciente seja reconhecido. Exemplos de tais parafilias específicas incluem necrofilia (cadáveres), escatologia (telefonemas obscenos), coprofilia (fezes e defecação) e zoofilia (animais).

A necessidade de praticar sexo coercivo ou agressivo, como estupro, não é sintoma de doença mental e sim um ato vil de violência contra o outro.  O Enfermeiro Forense precisa saber e identificar estes transtornos, para que o portador tenha um tratamento adequado.

Fonte:

Fisher KA, Marwaha R. Paraphilia. 2021 Mar 2. In: StatPearls [Internet]. Treasure Island (FL): StatPearls Publishing; 2022 Jan–. PMID: 32119312.

Konrad N, Welke J, Opitz-Welke A. Paraphilias. Curr Opin Psychiatry. 2015 Nov;28(6):440-4. doi: 10.1097/YCO.0000000000000202. PMID: 26382165.

https://www.medicinenet.com/paraphilia/article.htm
Compartilhe isto: