Tráfico humano – Ainda uma triste realidade no século XXI

O tráfico de pessoas ou tráfico humano é um tipo de escravidão moderna quee envolve o uso de força, fraude ou coerção para obter algum tipo de trabalho ou ato sexual comercial.

Todos os anos, milhões de homens, mulheres e crianças são traficados em diversos países do mundo, incluindo o Brasil. Estima-se que o tráfico de seres humanos gere bilhões de dólares de lucro por ano, perdendo apenas para o tráfico de drogas como a forma mais lucrativa de crime internacional.

O tráfico de pessoas é um crime difícil de identificar, uma vez que as vítimas raramente se apresentam procurando ajuda devido principalmente as  barreiras linguísticas, medo dos traficantes e / ou medo da  lei do país.

Os traficantes usam força, fraude ou coerção para atrair suas vítimas e forçá-las à exploração sexual,  laboral ou comercial. Eles procuram pessoas que são suscetíveis a uma variedade de razões, incluindo vulnerabilidade psicológica ou emocional, dificuldades econômicas, falta de rede de segurança social, desastres naturais ou instabilidade política. O trauma causado pelos traficantes pode ser tão grande que muitas pessoas podem não se identificar como vítimas ou pedir ajuda, mesmo em locais públicos.

O tráfico de pessoas é um crime grave e uma violação dos direitos humanos. Todos os anos, milhares de homens, mulheres e crianças caem nas mãos de traficantes, nos países de origem ou em países estrangeiros.

Elementos Do Tráfico Humano

Com base na definição dada no Protocolo sobre Tráfico de Pessoas, é evidente que o tráfico de pessoas tem três elementos constituintes;

O ato (o que é feito)

Recrutamento, transporte, transferência, abrigo ou recebimento de pessoas

Os meios (como é feito)

Ameaça ou uso de força, coerção, rapto, fraude, abuso de poder ou vulnerabilidade, pagamentos ou benefícios a uma pessoa que tem a vítima sob controle.

O Propósito (Por que é feito)

Para fins de exploração, que inclui a exploração da prostituição de terceiros, a exploração sexual, o trabalho forçado, a escravidão ou práticas similares e a remoção de órgãos.

Várias organizações, incluindo o Departamento de Defesa Americano, caracterizaram o tráfico humano como o crime que mais cresce no mundo. Relatórios mostram que os traficantes estão obtendo enormes lucros com o crime, a indústria do tráfico sexual atrai cerca de US $ 99 bilhões por ano.

Em setembro de 2017, a Organização Internacional do Trabalho OIT  previu que 24,9 milhões de homens, mulheres e crianças foram vítimas de tráfico humano em todo o mundo.

Infelizmente a exploração sexual é a forma mais comum de tráfico humano e a maior parte das vítimas identificadas foram para fins de exploração sexual, especialmente nas Américas, Europa, leste da Ásia e Pacífico.

Na África Subsaariana e no Oriente Médio, tráfico para trabalho forçado é a forma mais registrada. Nas regiões centro e sul da Ásia, tráfico para trabalho forçado e exploração sexual são igualmente prevalecentes.

Entre outras formas de tráfico de pessoas estão: meninas que são forçadas ao casamento, mais comum no sudeste da Ásia; crianças para adoção ilegal, mais comum em países da América Central e do Sul, criminalidade forçada no oeste e sul da Europa; e remoção de órgãos, detectada principalmente no Norte da África e regiões centro e leste da Europa.

Precisamos de ações efetivas para combater este tipo de violência, e isso deve começar conscientizando a população acerca dos danos que este tipo de ação pode trazer a sociedade.

Fonte:

https://www.unodc.org/unodc/en/human-trafficking/what-is-human-trafficking.html

https://www.bustle.com/p/13-sex-trafficking-statistics-that-put-the-worldwide-problem-into-perspective-9930150

https://www.unodc.org/unodc/fr/human-trafficking/global-report-on-trafficking-in-persons.html

https://www.bandab.com.br/seguranca/menino-encontrado-em-cascavel-pode-ser-vitima-de-trafico-de-criancas-mulher-foi-presa-em-flagrante/

http://www.comcafe.net.br/alerta-sobre-possivel-trafico-de-criancas-no-parana/

https://www.unodc.org/unodc/data-and-analysis/glotip.html

Compartilhe isto: