O enfermeiro forense no atendimento a comunidade

Trabalhar como enfermeira forense vai além do atendimento às necessidades das vítimas de crime, documentando eventos traumáticos e auxiliando no processo legal.  Enfermeiros forenses também usam estratégias baseadas em evidências e programas educacionais para prevenir crimes, promover a justiça social e expandir o alcance da profissão em todo o mundo.

Enfermeiros forenses tem um papel de liderança  desenvolvendo, patrocinando e transmitindo informações sobre ciência e prática de enfermagem forense, de acordo com a Associação Internacional de Enfermeiros Forenses (IAFN). O principal objetivo da enfermagem forense é fornecer serviços às vítimas, inclusive como examinador de vítimas de agressão sexual, ou SANE. Ao mesmo tempo, os enfermeiros forenses também proporcionam às comunidades recursos para compreender e combater as consequências de longo e curto prazo da violência, iniciar os esforços de prevenção da violência e ajudar a supervisionar a administração da justiça. As funções de enfermagem forense de nível avançado incluem educação, administração, prática clínica, pesquisa e consulta.

Um dos princípios da enfermagem forense é assegurar cuidados gerais e especializados e compassivos em todas as comunidades. As enfermeiras forenses devem ser uma presença mais forte na comunidade por meio de colaborações com instituições acadêmicas para criar projetos de pesquisa em enfermagem forense.

O enfermeiro forense que atua na coletividade tem coimo foco a justiça social, incluindo o aprendizado sobre a interconexão entre privilégio, opressão, prática ética e equidade em saúde. Enfermeiros forenses têm a oportunidade de melhorar a justiça social interagindo com populações vulneráveis.

Um estudo de 2018 no  Journal of Forensic Nursing  descobriu que estudantes de enfermagem que participam de experimentos de simulação da pobreza ganham uma maior compreensão dos que vivem na pobreza e são motivados a se tornarem defensores e agentes de mudança. O estudo, intitulado “Understanding Poverty: Teaching Social Justice in Undergraduate Nursing Education”, descobriu que o aumento da empatia social e uma melhor compreensão da justiça social “inevitavelmente afetariam positivamente sua prática futura e melhorariam seu aprimoramento como enfermeiros forenses”.

Trabalhar como enfermeiro forense inclui compreender as questões populacionais multiculturais que a Organização Mundial de Saúde identificou como sendo de alta prioridade, incluindo o impacto do tráfico de pessoas, violência doméstica e abuso infantil.

O aspecto social que é um fatores de risco de violência é uma constante preocupação da SOBEF, buscamos conscientizar a população através de palestras e ações comunitárias realizadas por nossos membros no sentido de minimizar o reduzir os efeitos da violência em nosso meio.

LCDR Cynthia T. Ferguson The prevention and response of the forensic nurse and public health violence

https://onlinenursing.duq.edu/blog/forensic-nurses-working-violence-prevention-social-justice/

HELLMAN, Ann N. et al. Understanding poverty: teaching social justice in undergraduate nursing education. Journal of forensic nursing, v. 14, n. 1, p. 11-17, 2018.

Compartilhe isto: