Enfermeiro especialista em Gerontologia Forense

O especialista em gerontologia forense é um profissional de saúde que atende pessoas idosas que podem ter sofrido agressão, abuso, exploração ou negligência. No caso do enfermeiro o mesmo utiliza suas habilidades de enfermagem, ajudando a  identificar e investigar crimes relacionados ao idoso. Seu trabalho  faz uma intersecção entre saúde e justiça criminal, atuando com vítimas de violência e profissionais de justiça. Em países desenvolvidos como os EUA, estima-se que 2,1 milhões de pessoas idosas são vítimas de abuso a cada ano. Entretanto  identificar problemas de abusos em idosos nem sempre é fácil. O trabalho deste especialista é identificar o abuso, tratar e apoiar a vítima e fornecer evidências que possam ajudar a punição dos abusadores.

O abuso e a negligência de idosos pode ser difícil de identificar. As pessoas mais velhas nem sempre conseguem falar sobre seus problemas; as vezes por medo, outras por apresentarem distúrbio cognitivo ou buscando proteger os agressores. Às vezes é difícil saber a diferença entre uma lesão decorrente de ato violento, com alterações pertinentes ao processo de envelhecimento ou a patologias que vítima pode apresentar. Em alguns casos, pode não haver sinais externos de abuso. O especialista em gerontologia forense irá fazer valer seu treinamento forense para reconhecer sinais que possam caracterizar  violência  e investigá-los de maneira sensível. Usando suas habilidades de enfermagem, este profissional irá atender este indivíduo no tratamento de seus ferimentos e os apoia-lo  fisicamente e emocionalmente.

Como enfermeiro de gerontologia forense, o profissional  identificará, reunirá, documentará e relatará evidências de abuso em idosos e atua em uma rede multidisciplinar ampla podendo  colaborar com a polícia, com assistentes sociais,  grupos de defesa de vítimas e advogados.

Com o aumento da população Idosa no Brasil, infelizmente também aumenta os números associados a violência contra o idoso. Violência essa muitas vezes associada a fragilidade e a presença de do doenças incapacitantes, tornando o idoso dependente de outro.

Dados do Ministério dos Direitos Humanos de 2017 referem que no Brasil foram registrados mais de 33 mil casos de agressão a pessoa idosa neste ano.  Um número que preocupa, ainda mais considerando o envelhecimento da população brasileira. Com o aumento do número de idosos no país, agência da ONU vê necessidade de protegê-los contra violações de direitos e de valorizar suas contribuições para a sociedade.

O número de brasileiros e brasileiras com mais de 60 anos superou os 30 milhões em 2017. As mulheres são maioria nesse grupo, 16,9 milhões (56%), enquanto os homens idosos representam 44% — 13,3 milhões. Segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), em 2031, a quantidade de idosos vai superar a de crianças e adolescentes de até 14 anos.

Fonte:

https://nacoesunidas.org/fundo-de-populacao-da-onu-alerta-para-violencia-contra-idosos-no-brasil/https://woman.thenest.com/forensic-gerontology-specialist-22298.html

https://www.medscape.org/viewarticle/578859

Compartilhe isto: