Violência no ambiente de trabalho – Como reconhecer e prevenir

Na fase adulta quando entramos no mercado de trabalho, passamos quase metade de nosso tempo diário (em alguns casos bem mais) em nosso local de trabalho. Isso envolve a convivência com diferentes pessoas, com diferentes comportamentos e pensamentos, promovendo uma maior vulnerabilidade, bem como proximidade em algumas relações.

Entretanto em algumas situações onde ocorrem divergências de opiniões deve-se preservar o respeito pelo outro e pela organização de trabalho, objetivando a prevenção de violência no ambiente de trabalho.

A violência no local de trabalho pode ser descrita como  qualquer ação, incidente ou comportamento apresentado que esteja fora dos padrões aceitáveis como conduta normal, onde o trabalhador, durante o seu trabalho ou como resultado direto do mesmo, é assaltado, ameaçado, ferido ou injuriado. Há dois tipos de violência no trabalho: interna, quando ocorre entre trabalhadores, incluindo gerentes e supervisores; e externa, quando ocorre entre trabalhadores, incluindo gerentes e supervisores, e qualquer outra pessoa presente no local de trabalho ou que se comunique com eles por telefone, numa relação trabalhador/cliente.

A maioria dos nós pensa na violência como um ataque físico. No entanto, a violência no local de trabalho é um problema muito mais amplo. É qualquer ato em que uma pessoa é abusada, ameaçada, intimidada ou agredida em seu emprego. Embora as definições exatas possam variar de acordo com a lei, em geral a violência no local de trabalho tem as seguintes características:

  • Comportamento ameaçador– como sacudir os punhos, destruir propriedades ou atirar objetos.
  • Ameaças verbais ou escritas– qualquer expressão que demonstre intenção  de causar danos.
  • Assédio– qualquer comportamento que humilhe, embarace, irrite, alarme ou agrida verbalmente o outro  que não seja esperado. Isso inclui palavras, gestos, intimidação e outras atividades inapropriadas.
  • Abuso verbal– xingamentos, insultos ou linguagem condescendente.
  • Ataques físicos– bater, empurrar, chutar entre outras agressões físicas.

Boatos, xingamentos, abusos verbais, brincadeiras, discussões, danos à propriedade, vandalismo, sabotagem, empurrar, roubo, agressões físicas, traumas psicológicos, incidentes relacionados à raiva, estupro, incêndio criminoso e assassinato são exemplos de violência no local de trabalho.

A violência no local de trabalho não se limita a incidentes que ocorrem dentro de um local de trabalho apenas. A violência relacionada ao trabalho pode ocorrer em eventos fora do local (conferências, feiras), em eventos sociais relacionados ao trabalho, nas casas de clientes ou fora do trabalho, que sejam resultantes do trabalho (uma ligação telefônica ameaçadora para a casa da vítima por exemplo).

Violência no trabalho

Determinadas situações encontradas em nosso ambiente de trabalho, bem como algumas profissões podem nos deixar mais vulneráveis a sofrer violência, no mesmo, as mais comuns são:

  • Manipulação de dinheiro, valores ou medicamentos prescritos (por exemplo, caixas, farmacêuticos).
  • Executar tarefas de inspeção ou execução (por exemplo, funcionários do governo).
  • Prestação de serviços, cuidados, conselhos ou educação (por exemplo, profissional de saúde, professores).
  • Trabalhar com pessoas instáveis ​​ou voláteis (por exemplo, serviço social, funcionários do sistema de justiça criminal).
  • Trabalhar em instalações onde o álcool é servido (por exemplo, bares e restaurantes).
  • Trabalhar sozinho, ou com poucos colegas (por exemplo, balconistas, agentes imobiliários), ou em áreas isoladas ou de baixo tráfego (por exemplo, áreas de armazenamento, salas de aluguel).
  • Trabalhar em contextos comunitários (por exemplo, enfermeiros, assistentes sociais e outros visitantes domiciliares).
  • Motoristas (por exemplo, táxi, transporte público).
  • Trabalhar durante períodos de intensa mudança organizacional como, por exemplo, em casos de greves.

O risco de violência pode ser maior em determinados momentos do dia, da noite ou do ano. Por exemplo:

  • Tarde da noite ou nas primeiras horas da manhã
  • Durante os feriados
  • Em reuniões
  • Dias de avaliações de desempenho

O risco de violência pode aumentar dependendo da localização geográfica do local de trabalho. Por exemplo:

  • Perto de edifícios ou empresas que estão em risco de crimes violentos (por exemplo, bares, bancos)
  • Em áreas isoladas de outros edifícios ou estruturas

Grupos vulneráveis a sofrer violência no trabalho

Certos grupos ocupacionais tendem a estar mais expostos à violência no local de trabalho. Essas ocupações incluem:

  • Funcionários da saúde ou aqueles
  • Polícia, segurança ou agentes penitenciários.
  • Funcionários de serviços sociais, incluindo intervenção em crises e serviços de aconselhamento.
  • Professores ou provedores de educação.
  • Funcionários de obras públicas.
  • Funcionários de varejo.
  • Vendedores de bebida alcoólica ( bares, lanchonetes e restaurantes).
  • Motoristas de táxi ou fiscais de trânsito.
  • Trabalhadores da saúde.

Ações que podem prevenir a violência no trabalho

O envolvimento do gestor é fundamental para que as ações de prevenção da violência no trabalho sejam efetivas. A para  isso algumas ações devem ser tomadas a fim de garantir sua eficácia:

  • As ações devem ser desenvolvidas por representantes da gerência e por colaboradores.
  • Defina o que será considerado violência no local de trabalho em linguagem precisa e concreta.
  • Apresentar exemplos claros de comportamentos que não serão aceitos no ambiente de trabalho. Que comportamento (por exemplo, violência, intimidação, intimidação, assédio, etc.) a administração considera inadequado e inaceitável no local de trabalho.
  • Deixar claro a visão da organização em relação à violência no local de trabalho e o compromisso da empresa com a prevenção da violência no local de trabalho.
  • Apresentar de forma precisa e clara as consequências de fazer ameaças ou cometer atos violentos.
  • Delinear o processo pelo qual medidas preventivas serão desenvolvidas.
  • Encorajar a denúncia de todos os incidentes de violência.
  • Deixar claro que a denuncia será confidencial.
  • Assegurar de que não haverá represálias contra funcionários que denunciarem.
  • Delinear os procedimentos para investigação e resolução de denuncias.
  • Descrever como as informações sobre possíveis riscos de violência serão comunicadas aos funcionários.
  • Assumir o compromisso de prestar serviços de apoio às vítimas de violência.
  • Realizar periodicamente treinamento em prevenção da violência em diferentes níveis de pessoal dentro da organização.
  • Respeitar o parceiro de trabalho, o gestor e as normas da empresa.

Sendo assim este tipo de violência pode ser prevenida na maioria dos casos, e se faz de fundamental importância que regras de comportamento sejam estabelecidas e cobradas de todos para que um ambiente de harmonia seja estabelecido na organização.

Fonte:

https://www.ccohs.ca/oshanswers/psychosocial/violence.html

https://safety.blr.com/workplace-safety-news/emergency-planning-and-response/violence-in-workplace/4-Types-of-Workplace-Violence-Whats-Your-Greatest-/

http://www.hse.gov.uk/violence/

http://sindireceita.org.br/blog/violencia-no-local-de-trabalho-assedio-moral/

http://www.rbmt.org.br/details/234/pt-BR/violencia-no-trabalho–uma-revisao-da-literatura

Compartilhe isto: