Violência de gênero – LBGT

No Brasil o preconceito contra os LBGTs ainda é uma triste realidade, em 2017 foram ao menos 445 cidadãos LBGTs tiveram suas vidas ceifadas  vítimas da homofobia. Houve um aumento de 30% em relação ao ano de 2016, sendo 387 por assassinatos e 58 por suicídio.

A maioria dessas vítimas são reféns de uma sociedade preconceituosa, que se utiliza de discursos ultraconservadores e que buscam amparo na religião.  Me pergunto as vezes se não é fato que o que está escrito na Bíblia “ amar o próximo como a tí mesmo “ a máxima de que é preciso amar o outro sem descriminação.

Compreender a sexualidade e a escolha do outro em relação ao gênero, é a forma mais pura de amor ao próximo, entender que temos o livre arbítrio para escolhas que fazemos em nossa vida, e que a autonomia é a garantia que o cidadão pode escolher o rumo de as vida em um país democrático.

Infelizmente o discurso  homofóbico não é um crime federal no Brasil, e leis estaduais e municipais que combatem a homofobia raramente são efetivas ou aplicadas.

O  Brasil, nos últimos anos,  procurou produzir políticas que pudessem proteger grupos vulneráveis com os LBGTs no entanto a falta de investimento e políticas públicas, fizeram com que essas ações fossem condenadas ao fracasso.

Apesar  do Brasil ser desenhado como uma nação inclusiva que abriga a maior parada gay do mundo e onde o casamento gay é legal ainda impera  uma nação com  forte tendência conservadora, onde a homossexualidade ainda é vista com restrições e pouco aceita pela sociedade em geral.

Casos que marcaram a violência contra os LBGT nos Brasil foram da Dandara dos Santos, uma mulher transgênero, que foi torturada e depois apedrejada até a morte por cinco homens e o caso foi capturado em vídeo no dia15 de fevereiro de 2017.

ESTADOS UNIDOS

Já nos Estados Unidos um relatório “ – Crise de Ódio”  do Anti Violence Projet de Nova York – Coalizão Nacional de Programas Anti-Violência (NCAVP)  – rastreou pelo menos 52 pessoas que foram mortas como resultado da violência anti-LGBT no anos de 2017,  perfazendo uma média de um homicídio por semana. Essas mortes sinalizam um aumento do ódio na América, alimentado por um ataque de legislação recente visando diretamente a comunidade LGBT.

As 52 vítimas eram mulheres transexuais; gays, bissexuais e transgêneros; e um número esmagador de pessoas de cor. Essas comunidades marginalizadas são alvos frequentes de legislação discriminatória e políticas federais

O relatório revelou detalhes perturbadores sobre até que ponto a violência homossexuais tem atormentado a  comunidade LGBT. Os homicídios de transgêneros e LBGTs  aumentam ano após ano.   Relatos de homicídios de homens bi ou gay cisgênero também aumentaram 400% em um ano; 45% dessas mortes foram relacionadas a conexões, a maioria das quais aconteceu por meio de aplicativos de namoro on-line ou anúncios pessoais. E nos últimos dias de 2017, quatro homicídios tiraram a vida de lésbicas negras. Cada um deles foi brutalmente morto e, em todos os casos, exceto um, crianças foram mortas ao lado de suas mães.

Um caso marcante nos estados Unidos foi do Mark Carson, de 32 anos, que foi morto a tiros por um homem que o perseguiu e provocou enquanto ele caminhava pela rua em Greenwich Village em Nova York, insultos contra homossexuais e perguntando a um deles “Você quer morrer hoje à noite?” Mark morreu depois de ser baleado no rosto por  Elliot Morales, que foi acusado de assassinato como um crime de ódio porque sua vítima era gay. Esta caso aconteceu em 2013.

Infelizmente a violência contra grupos LBGTs é uma triste realidade em vários países, a sociedade é culturalmente preconceituosa, onde o desrespeito as diferenças é algo normal e tolerado. No entanto é necessário que ações educativas, nos lares e nas escolas transformem esta realidade e quem sabe possamos almejar um futuro mais humano as futuras gerações.

Terminologias

Cisgênero é o indivíduo que se identifica com o sexo biológico do nascimento. Um exemplo de cisgênero é uma pessoa que nasceu com genitália feminina e cresceu com características físicas de “mulher”, e adotou padrões sociais ligados ao gênero feminino, expressados em roupas, gestos, tom de voz.

Transgênero é um indivíduo que  que nasceu com determinado sexo biológico, e não se identifica com o seu corpo biológico. Por exemplo a pessoa que nasceu com genitália masculina, cresceu com as transformações causadas pelos hormônios masculinos, mas se identifica é com o físico feminino, como os transexuais e travestis.  O termo transgênero engloba uma miríade de identidades de gênero. Estes incluem, mas não estão limitados a indivíduos que se identificam como masculinos ou femininos e desejam criar congruência entre esta identidade e sua apresentação de gênero e / ou corpos biológicos (com ou sem o uso de alterações cirúrgicas ou hormonais), indivíduos que podem se identificar tanto masculino e feminino, e aqueles que rejeitam a rotulagem de gênero inteiramente.

Fonte:

https://www.them.us/story/anti-lgbtq-hate-crimes-are-on-the-rise
https://www.lifedeathprizes.com/real-life-crime/mark-carson-shot-by-elliot-morales-for-being-gay-64210#2bKe8ap8MoCIFgot.99

https://www.hrc.org/resources/hate-crimes-and-violence-against-lgbt-people

Saiba mais

https://avp.org/a-crisis-of-hate-january/

Créditos imagem:

<a href=”https://www.freepik.com/free-photos-vectors/people”>People vector created by Vectorpocket – Freepik.com</a>

Compartilhe isto: