BULLYING – Diga não a essa forma de violência

De todas as formas de violência o Bullyng pode ser a mais cruel. Pois sua prática muitas vezes tem como foco a fragilidade do outro. Quando pensamos em bullying logo nos vem à mente crianças, mas não é somente na infância que corremos o risco de sofrer este ato perverso. Ele pode ocorrer em nossa casa, nosso trabalho, no shopping, ou seja, em qualquer local onde o outro decida ser, deliberadamente cruel com o alvo do bullying.

A palavra Bullying tem origem inglesa e se caracteriza por um conjunto de ações que envolvem agressões – físicas e psíquicas – ameaças, intimidações, maus tratos psicológicos físicos aplicados a uma vítima vulnerável no intuito de humilhar, intimidar e maltratar.

Geralmente o perpetrador de bullying usa de uma característica da vítima que acha feio, estranho ou esquisito e usa isso para intimidar, agredir e humilhar a mesma. AS razões para o ato podem ser inúmeros, desde o uso de óculos, fugir do padrão de beleza, ser magro ou gordo demais, alto ou baixo demais, ter voz diferente, cor da pele, ser de outro estado ou país, bem qualquer característica que o perpetrador identifique como fora de seu padrão.

Em outubro de 2017 um incidente relacionado ao Bullying chocou e deixou a sociedade brasileira atônita, um estudante de 14 anos atirou e matou 2 colegas de sala e deixou outros 4 feridos após sofrer bullying – os colegas diziam que ele tinha mal cheiro e o chamavam de fedorento – de acordo com reportagens . Este fato que abalou toda uma comunidade, é prova mais do que incontestável do estrago que o bullying pode trazer as vidas das pessoas.

Causas culturais

Em uma sociedade fascinada com o “ter é poder”, a violência muitas vezes é utilizada para conquistar algo que almejamos e não podemos ter, alguns especialistas sugerem, que não é realista esperar que as pessoas não sejam influenciadas em buscar o poder através da violência em suas próprias vidas. Os pesquisadores da  World Wrestling Federation (WWF) afirmam que a alta taxa de violência doméstica significa que muitos jovens crescem esperando que a violência seja uma forma aceitável de obter o que se quer.

Causas institucionais

Se a instituição em que ocorre o bullying – for a casa, a escola ou o local de trabalho isso pode ter uma relação na maneira como as pessoas se tratam, então o bullying pode ser mais provável e / ou predominante e ter uma influência sobre por que as pessoas o praticam. Exemplo a falta de respeito pelo outro, movida a pré-conceitos aprendidos em algum momento de suas vidas.

Questões sociais

O fato de se obter mais reconhecimento social para comportamentos negativos do que para os positivos também pode contribuir para as razões pelas quais as pessoas praticam o bullying. O ciúme ou a inveja e a falta de habilidades pessoais e sociais para lidar com sentimentos também podem ser razões pelas quais as pessoas agridem o outro.

Bem qualquer que seja a origem e a forma que o bullying se apresente, deve ser combatido, seja nas escolas com palestras de orientação aos pais, alunos e professores, no trabalho com a conscientização de gestores e colaboradores sobre seus efeitos nocivos e na família e sociedade destacando o seu papel na formação de cidadãos que respeitem o outro e suas diferenças.

A SOBEF acredita que a educação pode mudar o mundo.

SOBEF educando e formando profissionais para o resgate da dignidade humana.

 

Fonte:http://www.bullyingstatistics.org/content/why-do-people

Créditos Imagem:

<a href=”https://www.freepik.com/free-photos-vectors/people”>People image created by Bearfotos – Freepik.com</a>

Compartilhe isto:

Deixe uma resposta