Agressão Sexual – Tipos e como reconhecer

A termo Violência sexual é muito abrangente e se refere a crimes como agressão sexual, estupro e abuso sexual. Neste post iremos descrever a Agressão Sexual como forma de violência sexual.

A agressão sexual refere-se ao contato sexual ou ao comportamento que ocorre sem o consentimento explícito da vítima. Algumas formas de agressão sexual incluem:

  • Tentativa de estupro
  • Provocação ou toque sexual indesejável
  • Forçar o outro (vítima) a realizar atos sexuais, como o sexo oral ou penetração
  • Penetração do corpo da vítima, também conhecido como estupro

A violação é uma forma de agressão sexual, mas nem todas as agressões sexuais são violações. O termo violação é frequentemente utilizado como uma definição legal para incluir especificamente penetração sexual sem consentimento. A violação pode ser definida como “penetração, não importa quão leve, da vagina ou do ânus com qualquer parte ou objeto do corpo, ou penetração oral por órgão sexual de outra pessoa, sem o consentimento da vítima”.

Na agressão sexual, usualmente é utilizada a força que nem sempre se refere à pressão física. Os perpetradores podem usar coerção emocional, força psicológica ou manipulação para coagir a vítima em sexo não consensual. Alguns perpetradores usarão ameaças para forçar a vítima a cumprir, como ameaçar ferir a vítima ou sua família ou outras táticas de intimidação. O assédio sexual caracteriza-se por propostas de relações sexuais. Baseia-se, na maioria das vezes, na posição de poder do agente sobre a vítima, que é chantageada e ameaçada pelo autor da agressão.

A maioria dos perpetradores é alguém conhecido da vítima. Aproximadamente sete a cada dez agressões sexuais são cometidas por alguém conhecido da vítima, como no caso violência sexual por parceiro íntimo ou violação de consentimento . Os perpetradores de violação também podem ser um colega de classe, um vizinho, um amigo ou qualquer indivíduo com inúmeros de papéis diferentes. É importante lembrar que em caso de namoro, casos de intimidade passada ou outros atos como beijos não são consentimento de liberação para o contato sexual.

Em outros casos, a vítima pode não conhecer o perpetrador. Este tipo de violência sexual às vezes é referido como violação por estranhos, que pode ocorrer de várias maneiras diferentes:

  • Ataque sexual de surpresa:quando um agressor agride de forma rápida e brutal a vítima sem contato prévio, geralmente à noite em um lugar público
  • Entre em contato com agressões sexuais:quando um perpetrador contata a vítima e tenta ganhar a confiança por flertar, atrair a vítima para o carro ou tentar forçar a vítima a uma situação em que ocorrerá a agressão sexual
  • Ataque sexual de invasão domiciliar:quando um estranho invade a casa da vítima para cometer o assalto

Sobreviventes de estupros por estranhos e violação de consentimento, muitas vezes culpam-se por se comportarem de forma a encorajar o perpetrador. É importante lembrar que a vítima  não é culpada pelas ações de um perpetrador.

A grande maioria das Agressões sexuais tem início em situações onde ocorrem o abuso sexual que é definido prática do ato sexual ou caricias, entre pessoas de sexo diferente, ou de mesmo sexo, sem que haja consentimento de uma das partes envolvidas ou em troca de favores. Chamamos de agente abusador aquele que já possui experiência e, visa obter sua satisfação sexual

O Abuso sexual sem contato físico

São práticas sexuais que não envolvem contato físico onde as vítimas mais frequentes são crianças e adolescentes.

O abuso sexual verbal pode ser definido por conversas abertas sobre atividades sexuais destinadas a despertar o interesse da criança ou do adolescente ou a chocá-los. Os telefonemas obscenos são também uma modalidade de abuso sexual verbal. A maioria deles é feita por adultos, especialmente do sexo masculino. Podem gerar muita ansiedade na criança, no adolescente e na família.

O exibicionismo é o ato de mostrar os órgãos genitais ou se masturbar diante da criança ou do adolescente ou no campo de visão deles. A experiência, contudo, pode ser assustadora para algumas crianças e adolescentes.

O voyeurismo é o ato de observar fixamente atos ou órgãos sexuais de outras pessoas, quando elas não desejam serem vistas e obter satisfação com essa prática. A experiência pode perturbar e assustar a criança e ao adolescente. Nas relações sexuais entre adultos, o voyeurismo pode ser uma pratica sexual consentida.

A pornografia. Essa forma de abuso pode também ser enquadrada como exploração sexual comercial, uma vez que, na maioria dos casos, o objetivo da exposição da criança ou do adolescente é a obtenção de lucro financeiro.

Fonte:

portal.mec.gov.br/secad/arquivos/pdf/guiaescolar/guiaescolar_p038.pdf

https://www.rainn.org/articles/sexual-assault

http://www.direitosdacrianca.gov.br/midiateca/publicacoes/abuso-sexual

Créditos Imagem:

<a href=”https://www.freepik.com/free-photos-vectors/background”>Background image created by Luis_molinero – Freepik.com</a>

Veja as  regras para habilitação e funcionamento dos Serviços de Atenção Integral às Pessoas em Situação de Violência Sexual no âmbito do Sistema Único de Saúde (SUS).

http://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/gm/2013/prt0528_01_04_2013.html

Compartilhe isto: