Abuso sexual infantil de crianças e adolescentes – Como identificar

O abuso de crianças e adolescente acorre na grande maioria das vezes de forma velada. O perpetrador  aproveita-se da vulnerabilidade da vítima para a prática do ato. Em caso do abuso causado por familiares, ainda é mais grave, pois o abusador aproveita-se das relações afetivas para a prática do mesmo, e em alguns casos a criança se sente culpada por ter sido abusada, o que faz com que ela não comente o fato com outros, deixando uma lacuna para que o perpetrador volte a cometer o abuso.

 O QUE É CONSIDERADO ABUSO SEXUAL INFANTIL?

O abuso sexual infantil inclui atividades com e sem contato. Alguns exemplos de atividade comovente incluem:

  • Tocar os genitais de uma criança ou partes íntimas para prazer sexual
  • Fazer a criança tocar nos genitais, encorajando a criança a fazer jogos sexuais ou fazer sexo colocando objetos ou partes do corpo (como dedos, língua ou pênis) dentro da vagina, boca ou no ânus de uma criança para prazer sexual.

Alguns exemplos de atividades sem contato incluem:

  • Apresentar pornografia para uma criança
  • Expor os genitais do adulto para a criança
  • Fotografar uma criança em poses sexuais
  • Incentivar uma criança a assistir ou ouvir atos sexuais
  • Assistir uma criança se despir ou usar o banheiro
  • Visualizações e exposições de imagens sexuais de crianças na Internet. Visualizar imagens de abuso infantil é participar do abuso de uma criança. Indivíduos com essa prática também podem estar abusando de crianças.

SINAIS DE ALERTA EM CRIANÇAS E ADOLESCENTES DE POSSÍVEL ABUSO SEXUAL INFANTIL

As crianças geralmente nos mostram em vez de nos dizer que algo está errado, a comunicação não verbal, muitas vezes é utilizada como forma de interagir com o outro em casos de crianças pequenas. Pode haver muitas razões para mudanças no comportamento, mas se notarmos uma combinação de sinais preocupantes, talvez seja hora de pedir ajuda ou conselhos.

O que observar em crianças e adolescentes:

  • Se estiver agindo de forma sexual inadequada com brinquedos ou objetos
  • Se forem notados pesadelos, problemas de sono
  • Tornando-se retraído muito carente
  • Tornar-se muito reservado
  • Mudanças súbitas de personalidade inexplicáveis, alterações de humor e aparente insegurança
  • Regressão de comportamento se for uma criança maior ou adolescente, comportar-se como um bebê
  • Medo inexplicável de lugares ou pessoas em particular
  • Explosões de raiva
  • Mudanças nos hábitos alimentares
  • Utilizar palavras adultas para partes do corpo e nenhuma fonte óbvia
  • Conversar sobre um novo amigo mais velho e aparecer com dinheiro inexplicável ou presentes
  • Automutilação (cortes, queimaduras e outras atividades prejudiciais)
  • Sinais físicos, como dor inexplicável ou hematomas ao redor dos genitais ou da boca, doenças sexualmente transmissíveis, gravidez
  • Fuga de casa
  • Não querer ficar sozinha com desconhecidos.

Entretanto, nem sempre a presença destes sinais significam que uma criança ou adolescente vem sendo abusadas sexualmente, mas a presença de vários sinais de alerta sugere que devemos  começar a fazer perguntas e considerar a buscar ajuda. É preciso ter em mente, que alguns desses sinais podem surgir em outros momentos de estresse, como:

  • Durante um divórcio
  • Morte de um membro da família ou animal de estimação
  • Problemas na escola ou com amigos
  • Outros eventos indutores de ansiedade e traumáticos

Sinais físicos de abuso sexual são raros; no entanto, na presença de alguns sinais clássicos aconselha-se buscar auxílio médico para ajudar a entender o que pode estar acontecendo e avaliar a presença de  doenças sexualmente transmissíveis. Esse sinais são:

  • Dor, descoloração, sangramento ou presença de pus nos órgãos genitais, ânus ou boca
  • Dor persistente ou recorrente durante a micção e evacuações
  • Perda de urina de forma acidental apresar de ser continente.

É importante que pais e responsáveis fiquem atentos a essas mudanças, para que o abusador seja identificado e medidas legais possam ser tomadas.

Créditos imagem:

<a href=”https://www.freepik.com/free-photos-vectors/school”>School photo created by freepik – www.freepik.com</a>

Saiba mais:

http://www.mp.go.gov.br/portalweb/hp/10/docs/revista_do_mp_n_17.pdf

http://www.mpf.mp.br/ms/sala-de-imprensa/docs/2018/cartilha-virtual-abuso-sexual

http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/Abuso_Sexual_mitos_realidade.pdf

Compartilhe isto: